Notícias

Notícias

Neste canal você encontra notícias sobre a empresa e os boletins enviados para a imprensa

Assessoria de imprensa: imprensa@ecorodovias.com.br

Exposição que narra a história da Ponte Rio-Niterói é inaugurada no Horto do Fonseca

Publicado em 16 de jul de 2022 às 15:26

A história da Ponte Rio-Niterói e sua relação com a população fluminense é o tema da exposição Conexões, inaugurada na tarde deste sábado (16/7), no Horto do Fonseca, em Niterói. Realizada pelo Ministério do Turismo e patrocinada pela Ecoponte, concessionária do Grupo EcoRodovias, a mostra reúne documentos, imagens iconográficas e fotos da Baía de Guanabara e da Ponte Rio-Niterói, que nasceu como a terceira maior do mundo. Durante a inauguração, Sílvio Antônio de Souza, coordenador de Sustentabilidade da Ecoponte, destacou que a mostra antecipa as comemorações do cinquentenário da Ponte Rio-Niterói.

“Além de operar a rodovia, a Ecoponte também se destaca pela responsabilidade social. A gente desenvolve pessoas e as engaja. Sustentabilidade é um dos nossos valores. Isso aqui é só uma amostra do que ainda está por vir”, afirmou ele.

A maior do Hemisfério Sul até os dias de hoje, a Ponte Rio-Niterói foi inaugurada em 1974. Nesse ano, o engenheiro Carlos Henrique Siqueira, de 74 anos, começou a trabalhar na construção da via. Convidado ilustre da exposição, ele se tornou doutor em Engenharia ao defender uma tese sobre a Ponte Rio-Niterói e, atualmente, atua como consultor de manutenção da rodovia.

“A Ponte é magnânima e representa o Brasil e a engenharia nacional no exterior. Para mim, ela tem vida. É a minha eterna namorada”, diz o engenheiro, que reúne uma série de artigos publicados no exterior sobre a rodovia e colaborou com a pesquisa de conteúdo da mostra.

Montada dentro de dois contêineres marítimos instalados no Horto do Fonseca, a exposição tem entre suas principais atrações uma linha do tempo, que começa em 1763, com a transferência da capital do Brasil de Salvador para o Rio de Janeiro, e segue até 1974, com a inauguração da ponte. “Na linha, a gente vê que, por muito tempo, a proposta era construir um túnel, por baixo do mar, e não uma ponte”, conta a historiadora Nataraj Trinta, uma das pesquisadoras do conteúdo da exposição.  

A construção da Ponte representa um marco da engenharia nacional que mudou os hábitos e abriu inúmeras possibilidades para muita gente. “Para a minha família, a construção da ponte foi algo fabuloso. A gente passou a viajar com frequência para uma chácara em Itaboraí. Sem a ponte, que encurtou o tempo de viagem, seria impossível. A via transformou a vida do cidadão do Rio de Janeiro”, disse Rafael Gonçalves, um dos visitantes da exposição.  

A inauguração de Conexões contou com a apresentação da Orquestra da Grota, composta por músicos formados na comunidade do bairro de São Francisco, em Niterói. Outra atração da mostra, dois óculos de realidade virtual despertaram o interesse do público com a possibilidade de viver uma experiência interativa, inspirada em uma das maiores curiosidades dos usuários da Ponte Rio-Niterói: um passeio pelo interior da estrutura do vão central, reconhecido como o maior com viga reta contínua do mundo.

A exposição tem o conteúdo dividido em seis núcleos: Ponte Rio-Niterói; Conexões na Modernidade; Conexões na História; Conexões na Paisagem; Conexões no Território e Conexões no Cotidiano. A pesquisa foi realizada nos acervos da Fundação Biblioteca Nacional, do Museu Aeroespacial, do Instituto Moreira Salles, do Historical Service of Navy, da NASA e da Sociedade Fluminense de Fotografia.

“Tem muita história nessas paredes. Por isso, contamos com educadores para acompanhar os visitantes e tornar tudo acessível a pessoas de todas as idades”, destacou Gisele Pennella, coordenadora do Projeto Conexões.

Com caráter educativo, a exposição oferece visita guiada por monitores. O site do projeto (www.projetoconexoes.com.br) contém uma série de ações educativo-culturais. A programação da exposição ainda inclui curso gratuito e online de fotografia, aberto ao público em geral, sob a coordenação de Davilym Dourado, fotógrafo e artista visual.

A mostra tem visitação gratuita e segue aberta ao público de terça à domingo, das 10h às 19h, até 16 de outubro. O Horto do Fonseca fica na Alameda São Boaventura, 770. O Projeto Conexões conta com o patrocínio da Ecoponte, concessionária do Grupo EcoRodovias, uma das maiores companhias de infraestrutura do Brasil, que opera o trecho Rio-Niterói. Realizado pela Lei de Incentivo à Cultura do Governo Federal, é uma produção da Pas de Deux Projetos.

Serviço:

Exposição aberta à visitação gratuita: 16 de julho até 16 de outubro de 2022.

Horário: de terça à domingo, das 10h às 19h.

Local: Horto do Fonseca – Niterói – Rio de Janeiro.

Endereço: Alameda São Boaventura, 770.

Produção: Pas de Deux Projetos.

Realização: Ministério do Turismo - Lei de Incentivo à Cultura – Governo Federal

Patrocínio: ECOPONTE  https://www.ecoponte.com.br/

Link com fotos e vídeo em alta

https://drive.google.com/drive/folders/11c8ucuiDDa_eRWhiNztln4SM7Ck59qDq?usp=sharing

 Link com fotos - https://postimg.cc/gallery/XbVfzjr