Governança Corporativa

Valor para seus acionistas

Com o objetivo de criar valor para seus acionistas e demais stakeholders, a EcoRodovias adota práticas de governança que seguem as diretrizes do Novo Mercado, segmento mais exigente da BM&FBovespa. Entre as referências adotadas, destacam-se as orientações do Código de Melhores Práticas de Governança Corporativa, do Instituto Brasileiro de Governança Corporativa (IBGC). A companhia mantém pelo menos 25% das ações no mercado e elabora seus balanços com base nas normas contábeis internacionais (IFRS).

A estrutura de governança da EcoRodovias é composta por três órgãos principais: Conselho de Administração, Comitês do Conselho de Administração (Auditoria, Gestão de Pessoas e Governança e Investimentos, finanças e Riscos) e Diretoria.

Mais alto órgão decisório da companhia, o Conselho de Administração é composto de oito membros efetivos, três dos quais independentes, como determinam os critérios do IBGC. Cabe a ele definir as diretrizes estratégicas dos negócios, supervisionar e avaliar o desempenho corporativo e da Diretoria Executiva, além de aprovar decisões de investimentos. Os comitês estatutários (Auditoria, Governança e Gestão de Pessoas e Investimentos, Finanças e Riscos) e não estatutários (Ética e Sustentabilidade); e os comitês de trabalho são vinculados à Diretoria Executiva. Seguindo boas práticas de governança, os comitês estatutários são coordenados por conselheiros independentes, atuam como fórum de discussão, contribuindo para melhorar a qualidade das decisões tomadas pelo Conselho de Administração.

A Diretoria da EcoRodovias exerce a gestão compartilhada, buscando o consenso entre todos os seus membros, a fim de reforçar o espírito de equipe e o conceito de órgão com decisões colegiadas.